Músicas

Conheça Filippe Lima e sua música autoral no estilo MPB, “Música Preta Brasileira”

Nascido entre a Zona Norte e o Centro do Rio de Janeiro, aos pés do Morro de São Carlos, Filippe Alves de Lima, o agora então artista Filippe Lima, cresceu em uma casa humilde na companhia de sua mãe. E conforme crescia, entre uma brincadeira e outra, Filippe começou a se interessar pela música .

Aos nove anos, ganhou seu primeiro violão, presente do chefe do seu pai, e dali em diante não parou mais. E se engana quem acha que ele aprendeu a tocar fazendo aulas em escolas de música ou particulares; Filippe começou a tocar seu violão com ajuda das revistas para iniciantes, daquelas que vendem nas bancas de jornal.

A primeira vez em que subiu em um palco foi aos 12 anos, quando encarou sua timidez de frente com seus amigos da escola e formou a banda de rock Play-Som, inspirada na banda Fourfun. Com o passar do tempo, foi descobrindo outros estilos e entrou para o grupo Nossa Parada e depois no Saka Só, ambos tocando samba de raiz e retrô e pagode dos anos 90.

No início, fazia músicas que hoje ele julga como bobas, mas que foram essenciais para lapidar seu talento. Sua intimidade com a música era tanta que além de tocar e cantar, ele se descobriu compositor.

O nascimento de “Preta”, sua primeira música autoral

Ao ouvir uma música na rádio do mesmo estilo de “Preta”, R&B, hip-hop, Filippe se questionou porquê de compor uma música naquela vibe. E daí em diante, com toda paciência, iniciou o processo de composição.

“Preta” foi a escolhida para ser a primeira gravação da carreira solo de Filippe Lima. Nasceu nesse momento da pandemia de coronavírus. Depois da fase da composição, ele foi para a fase de estúdio e lá o produtor Juan Viana compreendeu suas intenções com a música.

Após a criação, a produção e a burocracia do registro musical, Filippe então falou sobre o porquê ela foi escolhida: “Acho que é uma música que toca muito as pessoas, do mais novo ao mais velho. É aquela letra que fica na cabeça, porque tem um refrão fácil de pegar e uma batida envolvente. Fui mostrando para os meus amigos e eles gostaram, por isso foi a escolhida”.

A música foi lançada em 20 de fevereiro, e a sensação de Filippe foi de emoção antes mesmo dela ir às plataformas digitais. A canção criada em seu quartinho ultrapassou as fronteiras e já foi ouvida fora do Brasil, na Austrália e na Bélgica.

Os próximos passos de Filippe Lima

O cantor diz que esse é só o começo, e que pretende lançar outras músicas e, inclusive, já está trabalhando para isso. Entre suas composições já tem uma no forno, semelhante a “Preta”, e tem tudo para ser sua próxima música de trabalho.

Montar um álbum com todas essas músicas não é uma ideia a ser descartada, mas ainda não há nada concreto. Por enquanto, Filippe aproveita este período de isolamento social para compor.

O artista se vê cheio de sonhos que envolvem a música, quer poder viver dela e mais que isso: ser reconhecido por sua arte, poder levar alegria por meio de suas canções e composições, acompanhadas de samba, hip-hop e MPB, que segundo ele é a “Música Preta Brasileira”.

Escreva um Comentário

2 × 5 =